quarta-feira, novembro 07, 2012

Meu filho, eu te vi





Vi meu filho chorar.
Chorar muito.
Faltava o ar, 
Faltavam as palavras.
Fazia movimentos involuntários,
Sentiu dormência em sua mão...

Dor.
Muita dor.

Vi meu filho se buscar.
Perdido entre anseios e receios,
perguntas sem respostas
e o escuro à sua frente.
Dorido do peso vertical da Autoridade
vergando sua alma.

Impotência.

Vi meu filho se encontrar.
Ainda diante da estrada
Ele dizia os descaminhos a evitar,
O vazio a percorrer
E a alegria de ser verdadeiro.
Orgulhoso de se tornar si mesmo.

Paz. 
Vi meu filho crescer.
.
.