quinta-feira, janeiro 03, 2013

Sem ti

Fugi de ti
Quando não restou espaço para o meu amor.
Apenas fragmentos de segundos envolviam meu corpo.
Te lembras?
Afugentei teu olhar e corri de tuas mãos que,
doce e suavemente,
acorrentavam minha alma.
Há uma vaga lembrança da tua urgência,
Sentido de meu desespero!
Como despertar do sonho de te haver possuído
E, de ti, avistar apenas o dorso enquanto partes,
Partida em pedaços.
Resta este sabor de aurora,
O peso das horas mortas
E o vazio de existir.