quarta-feira, janeiro 10, 2007

Cigarro e café.


Foto: Bruno Dias


Cigarro e café.

Borras são borras,
das cinzas, cinzas.
O momento é sóbrio,
mas não é em vão.

Sorvo o café
como sorvia então.
Aspiro seu aroma,
aprecio seu sabor,
seu quente me aquece a palma
mas, minha boca queima.
Amargo e doce vêm e vão.

Névoas se misturam
e eu suspiro a fumaça mansa.
Meu peito se preenche
enquanto a alma, prenhe,
se esvai no vão.

Silente o céu cintila
a calma na escuridão
.


Um comentário:

Mari Marinaro disse...

Amei!!!! bj Mari